Da Diretoria Executiva/Assessoria de Imprensa

O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) sucateou a Polícia Civil e vem criando situações que aumentam a insegurança para a população do Distrito Federal.

Não satisfeito em cometer essa atrocidade contra os cidadãos, acusa levianamente os policiais civis de estarem magoados com ele. Como se a valorização de policiais civis fosse coisa de criança.

Desde que assumiu o Governo do Distrito Federal (GDF), Rollemberg deixou de investir na Polícia Civil. Durante o seu governo, dezenas de delegacias foram fechadas – algo inimaginável aos moradores da capital do país. A medida vem trazendo dificuldades à população que procura fazer seu registro de ocorrências depois ser vítima de algum crime e resultando na subnotificação, o que tende a gerar estatísticas que não refletem a realidade da violência.

A defasagem de pessoal na instituição é, hoje, de mais de 50%, o que compromete todo o trabalho, seja nos plantões ou na investigação – que é a atividade fim da Polícia Civil.

A maioria das viaturas utilizadas diariamente pelos policiais civis tem mais de 10 anos de uso. Durante o governo Rollemberg, contudo, foram adquiridas apenas 60. Esses veículos vêm sendo distribuídos às unidades policiais há duas semanas, o que é insignificante diante de toda necessidade para a atuação de uma polícia da capital.

As armas fornecidas aos policiais civis para o trabalho são obsoletas e estão sendo alvo de diversas ações na Justiça, pois vêm causando acidentes que colocam em risco não só os policiais, mas a população.

Portanto, não houve investimento na Polícia Civil durante nesse malfadado governo.

O sucateamento da Polícia Civil é sentido pela população em diversas áreas, mas, sobretudo, no atendimento ao cidadão, por falta de pessoal, e, reiteramos, na investigação, que acaba por não ser realizada como poderia, levando a uma sensação de impunidade – é por meio do trabalho de inteligência desenvolvido pela categoria que se elimina o crime na sua origem e se coleta todo o material comprobatório responsável por levar criminosos à Justiça.

A taxa de solução de homicídios, no atual governo, caiu de uma média de 81% de para 47%. É a pior média de soluções para a Polícia Civil do DF.

Os policiais civis formam a categoria com as maiores perdas salariais, mesmo sendo paga com recursos federais – e isso já foi reconhecido pelo governo Rollemberg.

O atual governador mente em suas afirmações, pois os policiais civis sempre tiveram os mesmos salários que os policiais federais, uma vez que as instituições têm a mesma gênese.

O que os policiais civis querem é apenas manter o que sempre tiveram, desde a criação da Polícia Civil.

O impacto financeiro da recomposição salarial que visa fazer justiça aos policiais civis é inferior ao que Rodrigo Rollemberg afirmou.

Desde que ele assumiu o governo, em 2015, o Fundo Constitucional cresce cerca de R$ 700 milhões por ano. Boa parte desses recursos deveria ser destinados à Polícia Civil, pois além de não haver investimentos em equipamentos, viaturas, armas e novos sistemas de tecnologia, também não há novos concursos para recompor o quadro já defasado.

A Polícia Civil foi a única instituição que perdeu recursos do fundo constitucional ao longo dos anos em termos percentuais.

O número de ocorrências criminais registradas na capital, durante o atual governo, está perto de completar 1 milhão, o que é algo absurdo e inaceitável por todos que estão atuando na segurança da população. Esse resultado fruto de uma política de Segurança Pública equivocada de um governo que não valoriza a segurança do cidadão. O dado seria bastante superior se tivéssemos todas as delegacias funcionando 24h por dia.

O dado sobre crescimento vegetativo da folha salarial é mais uma mentira proferida. A folha salarial da Polícia Civil praticamente não cresce anualmente, pois a categoria não recebe anuênios e vantagens que possam representar um crescimento expressivo, ainda que a categoria não tenha reajuste salarial como o de outras.

Mesmo com toda desvalorização, desmotivação, falta de pessoal e equipamentos os policiais civis têm tentado superar todas essas dificuldades para prestar o melhor serviço à população.

Os policiais estão adoecendo, pois são vítimas de um governo que não tem interesse em que a capital do República tenha uma polícia investigativa bem equipada, com quadros de pessoal condizentes com a necessidade e valorização merecida dos policiais.

Infelizmente, o desrespeito do governador não é somente com os policiais civis, mas com toda a população do Distrito Federal, com quem ele não tem nenhum compromisso.

Assessoria de Imprensa Sinpol-DF – Coletivo Conversa
Bruno Aguiar
(61) 9 8195.9402
[email protected]

Filiação