Gilberto resolveu criar algo para identificar os produtos e ajudar as pessoas que possuem dificuldades visuais | Fotos: Arnon Gonçalves/Sinpol-DF

Da Comunicação Sinpol – DF

Aposentado há quase dez anos, Gilberto Pedrosa Rodrigues – “Agente Rodrigues”, como é conhecido no meio policial – está lançando um projeto que promete auxiliar pessoas com problemas de visão durante o banho. Ele criou pulseiras de silicone que ajudam a identificar de maneira mais clara os frascos de Shampoo e Condicionador – daí vem a sigla que ele usa na iniciativa, “Projeto SC”.

Rodrigues conviveu durante anos com problemas na visão. Ele foi diagnosticado com 10% de catarata, fez três cirurgias nos olhos e, atualmente, faz o uso de lentes de contato. Por causa disso, ele sempre encontrou dificuldades em tarefas cotidianas, principalmente na hora do banho. “Eu sempre confundia o Shampoo com o Condicionador, pois não conseguia ler o rótulo”, lembra.

Motivado pela própria necessidade em conseguir distinguir os frascos, surgiu a ideia de identificá-los de forma mais clara visualmente ou pelo tato. Rodrigues passou, então, a marcar com pincel atômico os frascos de shampoos e condicionadores que comprava para não confundi-los. Ao fazer isso, ele conta que pôde diferenciar as embalagens com facilidade.

Mas o policial civil não parou por aí. “Além de ajudar a mim e aos meus familiares, eu pensei que poderia criar algo para identificar os produtos e ajudar também as pessoas que possuem a mesma dificuldade. E, por que não, fazer uma embalagem que ajudaria milhares de pessoas com problemas visuais na hora do banho?”, indaga.

O policial resolveu criar produtos inovadores, respeitando as necessidades individuais e sociais

Foi aí que surgiu o “Projeto SC”. A iniciativa, esboçada ainda em 2011, só saiu do papel em 2019. “Ter a oportunidade de facilitar a inclusão social de pessoas com deficiência visual por meio de produtos inovadores, respeitando as necessidades individuais e sociais, é o que me motiva todos os dias”, explica Rodrigues.

Inicialmente, a ideia era fabricar embalagens com a letra “S” e “C”, em alto ou em baixo relevo, para identificar facilmente o frasco de Shampoo e o de Condicionador. Ao aprimorar o projeto-piloto, outros produtos surgiram até se chegar ao que ele está trazendo ao mercado: duas pulseiras de silicone, com as iniciais S e C em alto relevo e de cores diferentes. Elas podem ser colocadas em qualquer frasco dos produtos tradicionalmente vendidos em supermercado.

Outros produtos surgiram até se chegar ao que ele está trazendo ao mercado: duas pulseiras de silicone

As pulseiras podem ser adquiridas por encomenda; em breve, o site oficial será lançado. Rodrigues afirma que 15% do lucro será doado à Organização Nacional de Cegos do Brasil (ONCB). “A ideia é simples, mas ninguém no mundo pensou sobre isso ainda”, afirma o aposentado, que patenteou o projeto no Brasil. “Esta é uma alternativa de inclusão para que as empresas possam usar em seus produtos e ajudar as pessoas, além de fazer o produto ser um diferencial no mercado”, pontua.

TRAJETÓRIA

Gilberto nasceu em Goiânia(GO), mas mora na capital federal desde a infância. Ele diz ter aprendido logo cedo o valor do trabalho e a importância de ajudar as pessoas. Por isso, quando se aposentou, não conseguiu ficar parado: apesar de a família ter adquirido, em 2011, um sítio para organizar eventos, ele insistiu em desenvolver outra atividade em que pudesse ajudar ao próximo. Foi a partir daí que surgiu o Projeto SC.

Ele tomou posse no cargo de escrivão de polícia em 1986. Três anos depois, passou em outro concurso e tornou-se agente de polícia, quando foi lotado no Departamento de Polícia Especializada (DPE), mais especificamente na Central de Rádio, (conhecida por “Cintel”). Ele foi, ainda, chefe de suporte de informática na Secretaria de Estado de Segurança Pública, onde contribuiu também no disque-denúncia até 2010, quando se aposentou.

Rodrigues, filiado do Sinpol- DF desde a criação do sindicato, passou por vários momentos na polícia e guarda recordações das assembleias e movimentos sindicais que esteve à frente, como o Tirotaço. “Eu sempre gostei da minha profissão, em especial em ser agente de polícia. Eu carrego experiências maravilhosas e, para mim, a Polícia Civil é umas das melhores instituições aqui de Brasília”, afirma.

Serviço

“Projeto SC”: Pulseiras de silicone identificadoras dos frascos de shampoo e condicionador para pessoas com problemas visuais.

Encomendas por telefone (61) 99627-5126 ou e-mail [email protected]

Filiação